sábado, 16 de outubro de 2010

CITAÇÃO PARA FEFLEXÃO

"O simples leitor da Bíblia e ouvinte de sermões cheio do Espírito Santo desenvolverá um relacionamento mais profundo com seu Deus e Salvador que o estudioso mais erudito que se contenta apenas por estar teologicamnete correto. A razão disto é que o primeiro entrará em contato com Deus  respeito da aplicação prática da verdade em sua vida, enquanto o último não terá essa preocupação".

PACKER, J. I. O conhecimento de Deus. São Paulo: Mundo Cristão, 1996. p. 47.

Juarez e Neta - Música Deixe o pecado



Música: Deixe o pecado

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Vem aí a nova Clínica Realizada pela AIBRERN

V Congresso de Mulheres Batistas Regulares/RN

V CONGRESSO/MULHERES
BATISTAS REGULARES/RN
O PERFIL DA MULHER DE DEUS-II
I Timóteo. 3.11 - Tito 2:2-5 e I Pedro 3.3-4
22 E 23 DE OUTUBRO DE 2010
A AIBRERN CONVIDA MAIS UMA VEZ  TODAS AS MULHERES DAS IGREJAS BATISTAS REGULARES PARA O SEU 5º. CONGRESSO.
 
SERÁ SEGUIDO DENTRO DO TEMA DO 1º. CONGRESSO DE 2008, ABORDANDO MAIS DOIS ESTUDOS NA ÁREA.

PROGRAMAÇÃO
DATA- 22 e 23 de outubro 2010
6ª. Feira-Início com o jantar-18:00H.
Sábado-Término com o almoço-12:00H.
ORADORA- Irmã Débora Albuquerque Rocha(Manancial)
TAXA- 25,00- Natal
20,00-(Interior)
LOCAL- Acampamento ELIM
Contato - Fones 3217.5456 e 9171.3071

Fonte: www.aibrern.com.br

NOVO BLOG NO AR

O Irmão Wellington da Igreja Batista Regular do Conj. Santa Catarina, na cidade do Natal, criou um Blog que se chama koinoinfo.blogspot.com. O Blog será mais um ferramenta para deixar os Batistas Regulares do RN mais atualizados concernentes as notícias Cristã. O mesmo trará notícias de eventos, informações, curiosidades, estudos bíblicos, enquetes e dicas.
Acesse e confira!!!

MOTO VIDA VISITA O CAEDD

No último dia 02/10/2010 a equipe moto vida esteve no CAEDD Casa de Assistência Espiritual aos Dependentes de Drogas, no município de Macaíba. Tempo de conhecer o trabalho, ser desafiado e desafiar aos internos, a conhecer ao Senhor Jesus. Tivemos momento de louvor, leitura da Palavra, testemunhos e também uma reflexão bíblica com o pastor Paulo Júnior. No ocasião comemoramos o aniversário de um interno Yuri, ele agradeceu a Deus por mais um ano de vida. Mais uma missão cumprida.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

I ENCONTRO TEOLÓGICO BATISTA REGULAR DO OESTE POTIGUAR

No próximo dia 02 de outubro será realizado em Mossoró, o primeiro encontro Teológico Batista Regular do Oeste Potiguar. Clique no cartaz e veja todas as informações do evento.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

OS FATOS SOBRE O ABORTO

O que a Bíblia ensina acerca do aborto?

No Antigo Testamento, a Bíblia se utiliza das mesmas palavras hebraicas para descrever os ainda não nascidos, os bebês e as crianças. No Novo Testamento, o grego se utiliza, também, das mesmas palavras para descrever crianças ainda não nascidas, os bebês e as crianças, o que indica uma continuidade desde a concepção à fase de criança, e daí até a idade adulta.

A palavra grega brephos é empregada com freqüência para os recém-nascidos, para os bebês e para as crianças mais velhas (Lucas 2.12,16; 18.15; 1 Pedro 2.2). Em Atos 7.19, por exemplo, brephos refere-se às crianças mortas por ordem de Faraó. Mas em Lucas 1.41,44 a mesma palavra é empregada referindo-se a João Batista, enquanto ainda não havia nascido, estando no ventre de sua mãe.

Aos olhos de Deus ele era indistinguível com relação a outras crianças. O escritor bíblico também nos informa que João Batista foi cheio do Espírito Santo enquanto ainda se encontrava no ventre materno, indicando, com isso, o inconfundível ser (Lucas 1.15). Mesmo três meses antes de nascer, João conseguia fazer um miraculoso reconhecimento de Jesus, já presente no ventre de Maria (Lucas 1.44).

Com base nisso, encontramos a palavra grega huios significando "filho", utilizada em Lucas 1.36, descrevendo a existência de João Batista no ventre materno, antes de seu nascimento (seis meses antes, para ser preciso).
A palavra hebraica yeled é usada normalmente para se referir a filhos (ou seja, uma criança, um menino etc.). Mas, em Êxodo 21.22, é utilizada para se referir a um filho no ventre. Em Gênesis 25.22 a palavra yeladim (filhos) é usada para se referir aos filhos de Rebeca que se empurravam enquanto ainda no ventre materno. Em Jó 3.3, Jó usa a palavra geber para descrever sua concepção: "Foi concebido um homem! [literalmente, foi concebida uma criança homem]". Mas a palavra geber é um substantivo hebraico normalmente utilizado para traduzir a idéia de um "homem", um "macho" ou ainda um "marido". Em Jó 3.11-16, Jó equipara a criança ainda não nascida ("crianças que nunca viram a luz") com reis, conselheiros e príncipes.

Todos esses textos bíblicos e muitos outros indicam que Deus não faz distinção entre vida em potencial e vida real, ou em delinear estágios do ser – ou seja, entre uma criança ainda não nascida no ventre materno em qualquer que seja o estágio e um recém-nascido ou uma criança. As Escrituras pressupõem reiteradamente a continuidade de uma pessoa, desde a concepção até o ser adulto. Aliás, não há qualquer palavra especial utilizada exclusivamente para descrever o ainda não nascido que permita distingui-lo de um recém-nascido, no tocante a ser e com referência a seu valor pessoal.

E ainda, o próprio Deus se relaciona com pessoas ainda não nascidas. No Salmo 139.16, o salmista diz com referência a Deus: "Os teus olhos me viram a substância ainda informe". O autor se utiliza da palavra golem, traduzida como "substância", para descrever-se a si mesmo enquanto ainda no ventre materno. Ele se utiliza desse termo para se referir ao cuidado pessoal de Deus por ele mesmo durante a primeira parte de seu estado embrionário (desde a nidação até as primeiras semanas de vida), o estado antes do feto estar fisicamente "formado" numa miniatura de ser humano. Sabemos hoje que o embrião é "informe" durante apenas quatro ou cinco semanas. Em outras palavras, mesmo na fase de gestação da "substância ainda informe" (0-4 semanas), Deus diz que Ele se importa com a criança e a está moldando (Salmo 139.13-16).

Outros textos da Bíblia também indicam que Deus se relaciona com o feto como pessoa. Jó 31.15 diz: "Aquele que me formou no ventre materno, não os fez também a eles? Ou não é o mesmo que nos formou na madre?"

Em Jó 10.8,11 lemos: "As tuas mãos me plasmaram e me aperfeiçoaram... De pele e carne me vestiste e de ossos e tendões me entreteceste".

O Salmo 78.5-6 revela o cuidado de Deus com os "filhos que ainda hão de nascer".
O Salmo 139.13-16 afirma: "Pois tu formaste o meu interior, tu me teceste no seio de minha mãe. Graças te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste... Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui formado, e entretecido como nas profundezas da terra. Os teus olhos me viram a substância ainda informe".

Esses textos bíblicos revelam os pronomes pessoais que são utilizados para descrever o relacionamento entre Deus e os que estão no ventre materno.

Esses versículos e outros (Jeremias 1.5; Gálatas 1.15, 16; Isaías 49.1,5) demonstram que Deus enxerga os que ainda não nasceram e se encontram no ventre materno como pessoas. Não há outra conclusão possível. Precisamos concordar com o teólogo John Frame: "Não há nada nas Escrituras que possa sugerir, ainda que remotamente, que uma criança ainda não nascida seja qualquer coisa menos que uma pessoa humana, a partir do momento da concepção".[1]

À luz do acima exposto, precisamos concluir que esses textos das Escrituras demonstram que a vida humana pertence a Deus, e não a nós, e que, por isso, proíbem o aborto. A Bíblia ensina que, em última análise, as pessoas pertencem a Deus porque todos os homens foram criados por Ele.

E se você já fez um aborto?

Você já fez um aborto? Onde quer que se encontre, queremos que você saiba que o perdão genuíno e a paz interior são possíveis, e que uma verdadeira libertação do passado pode ser experimentada.
Deus é um Deus perdoador:

"Porém tu [és]... Deus perdoador, clemente e misericordioso, tardio em irar-te, e grande em bondade" (Neemias 9.17b).

"Pois tu, SENHOR, és bom e compassivo; abundante em benignidade para com todos os que te invocam" (Salmo 86.5).

Aliás, Deus não apenas perdoa, Ele, de fato, "esquece":
"Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim, e dos teus pecados não me lembro" (Isaías 43.25).

Você poderá encontrar perdão agora mesmo simplesmente colocando sua confiança em Jesus Cristo. Você pode confiar nEle, virando as costas para os caminhos que você tem seguido, reconhecendo e confessando seus pecados a Ele, e voltando-se para Cristo com a confiança de que através do Seu poder, Ele haverá de lhe conceder perdão e uma nova vida. Se você deseja ter seus pecados perdoados, se deseja estar livre da culpa, se quer ter nova vida em Cristo, se quer conhecer a Deus, e se você sabe que é amada por Ele, sugerimos a seguinte oração:

Querido Deus, eu confesso o meu pecado. Meu aborto foi coisa errada e eu agora venho à Tua presença em busca de perdão e de purificação. Peço que não apenas me perdoes esse pecado, mas que me perdoes todos os pecados de minha vida. Eu aceito que Jesus Cristo é Deus, que Ele morreu na cruz para pagar a penalidade pelos meus pecados, que ressuscitou ao terceiro dia, e que está vivo hoje. Eu O recebo agora como meu Senhor e Salvador. Eu agora aceito o perdão que Tu providenciaste gratuitamente na cruz e que me prometeste na Bíblia. Torna o teu perdão real para mim. Eu peço isso em nome de Jesus. Amém.

Fonte: http://www.chamada.com.br/mensagens/fatos_aborto.html

Notas
  1. Paul Fowler, Abortion: Toward an Evangelical Consensus (Portland, OR: Multnomah Press, 1987), p. 147.
Extraído do livro Os Fatos Sobre o Aborto.

sábado, 25 de setembro de 2010

domingo, 19 de setembro de 2010

MOTO VIDA

 

Escudo do Moto Vida




O Moto Vida é um grupo de motociclistas do movimento Batista Regular da cidade do Natal/RN que realiaza Evangelismo e assistência em cidades do interior do Estado do Rio Grande do Norte.
Grupo em uma Missão.
  


















 "E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura". Marcos 16:15

sábado, 18 de setembro de 2010

LIVRO O CONHECIMENTO DE DEUS DE J. I. PACKER

LEIA ESTE LIVRO
Conhecer Deus deve ser o objetivo de toda uma vida para o cristão. Entretanto, de acordo com J. I. Packer, autor de O conhecimento de Deus, clássico que a Mundo Cristão relança em edição revisada e ampliada, a mentalidade cristã vem sendo confundida pelo ceticismo moderno. Paker aponta que a Bíblia enfrenta um fogo cerrado, e fatos fundamentais da fé são cada vez mais questionados.

O conhecimento de Deus é uma obra bem-sucedida no sentido de fazer o leitor reencontrar-se com as questões simples, profundas e verdadeiras da fé cristã, demonstrando que conhecer Deus é, antes de tudo, amar a sua Palavra. O que começou como artigos despretensiosos para uma revista cristã veio a tornar-se um clássico da literatura cristã contemporânea, apresentando ensaios que cobrem temas fundamentais como a trindade, a soberania e a eleição.

Requisitado por professores e seminaristas, O conhecimento de Deus é uma obra que não pode faltar na biblioteca de todos aqueles que querem aprofundar-se no relacionamento com o Criador.

Leia o primeiro capítulo do livro - em HTML
Leia o primeiro capítulo do livro - em PDF

BIBLIOTECA DO SEMINÁRIO E INSTITUTO BATISTA BEREIANO

A Biblioteca do Seminário e Instituto Batista Bereiano - SIBB, consta com um acervo em média de 7.000 exemplares que encontram-se catalogados ou classificados. O acervo é caracterizado principalmente por sua quase totalidade de livros Teológicos e alguns outros de outras áreas, sendo constituído por livros, materiais científicos (monografias), obras de referência: enciclopédias, dicionários, guias, entre outros, sendo os mesmos (acervo) formado por compra ou doação. Nesse caso ainda os próprios (materiais) encontram-se classificados com a Classificação Decimal de Dewey - CDD.

Entre as atividades da instituição está o empréstimo de livros que abrange à toda comunidade de discentes, doscentes e funcionários do SIBB. O horário de atendimento é de segunda à sexta-feira, das 7hs às 22 hs.

Por: Yuri Pontes Henrique

quarta-feira, 19 de maio de 2010

OS FATOS SOBRE A HOMOSSEXUALIDADE

Por John Ankerberg e John Weldon

Retirado do site: www.chamada.com.br/mensagens/list/16

O que o relato da criação ensina a respeito do estilo de vida homossexual?
Os relatos de Gênesis (Gênesis 1.27; 2.18,21-24) e Mateus 19.4-6 ensinam que Deus criou a humanidade de uma maneira específica (macho e fêmea) com propósitos específicos relativos a isso (casamento, unidade sexual e procriação subentendidos).

O lugar mais adequado para começar uma avaliação bíblica sobre o homossexualismo não é com textos que o rejeitam, mas com textos que sustentam e apóiam essas passagens condenatórias.[1] Essa abordagem de pano de fundo é algo que quase todos os escritores pró-homossexuais falham em suprir.

A consideração do relato da criação é vital por muitas razões. Para começar, é um relato da criação. Homens e mulheres não são o produto cego de uma evolução ao acaso em que, literalmente, nada é normativo e os indivíduos são livres para escolher sua própria moralidade ou sexualidade. Os homens devem prestar contas ao Deus que os criou; eles não são o produto de uma natureza impessoal que não se importa com o estilo de vida deles.[2]

Abaixo estão cinco razões pelas quais o relato da criação é decisivo para qualquer discussão bíblica sobre a homossexualidade.

Primeiro, a aceitação da homossexualidade viola a ordem e a essência da própria criação humana.

Deus declarou que não era bom que o homem estivesse só. Para remediar essa situação, Ele criou a mulher como complemento divino e contrapartida da masculinidade. A comunhão sexual íntima foi pretendida somente para o homem com a mulher. Isso quer dizer que a homossexualidade distorce e desordena as intenções de Deus na criação e que a prática da homossexualidade contradiz o padrão da heterossexualidade em seu nível mais básico. O estilo de vida homossexual nega e desafia as polaridades do sexo de tal maneira que nem mesmo comportamentos heterossexuais, tais como fornicação e adultério, o conseguem.

Segundo, os homossexuais não podem obedecer ao mandamento de Deus quanto à procriação.

Em Gênesis 1.28, Deus ordenou a Adão, Eva e seus descendentes: "sede fecundos, multiplicai-vos e enchei a terra". Se Adão tivesse decidido ser homossexual, ninguém jamais teria nascido.

Terceiro, a homossexualidade constitui uma rebelião consciente contra a ordem divinamente criada.

De acordo com Romanos 1.32 e outras passagens bíblicas, os homossexuais sabem que seu comportamento é pecaminoso. A escolha contínua da prática de tal atividade é, portanto, uma rebelião intencional contra Deus e a ordem da criação.

Quarto, a Bíblia está repleta de premissas do relato da criação.

Se a homossexualidade fosse de alguma maneira legítima, as Escrituras não assumiriam uma inclinação heterossexual, mas incluiriam a opção homossexual. Se Deus tivesse a intenção de que o homem fosse bissexual, ou homossexual, ou se Ele tivesse criado o homem andrógino, o fato de criá-lo dessa maneira seria evidente em outros relatos das Escrituras relacionados à natureza do homem. Mas, o único padrão mantido e defendido é o heterossexual. "Do primeiro capítulo de Gênesis até o livro de Apocalipse, o significado duplo de expressão sexual-genital – a saber, procriação e união – é claramente manifesto... Javé é descrito como o noivo fiel, e Israel, como a noiva fiel, indicando que o amor heterossexual pode ser a base para se expressar o mistério de Deus em amar a raça humana... Além disso, o autor de Efésios reitera a mesma verdade revelada sobre a sexualidade humana, no contexto da sublime comparação em que o marido é comparado a Cristo e a mulher à Igreja. Quando o autor deseja descrever o amor que Cristo tem pela Sua Igreja, ele se volta para o amor heterossexual do marido e da mulher. [Efésios 5.25,28]."[3]

Em outras palavras, as Escrituras estão impregnadas com premissas concernentes à adequação da heterossexualidade; por comparação, a homossexualidade está conspicuamente ausente exceto quando se trata de condenação.

Quinto, a homossexualidade distorce a imagem de Deus.

Gênesis 1.27 ensina claramente que a imagem de Deus compreende tanto macho e fêmea – uma complementaridade que é eterna e existirá para sempre. Afirmar que a homossexualidade é bíblica e normal é distorcer a imagem de Deus e, conseqüentemente, insultar a natureza e o próprio Ser de Deus.
Ao entendermos o propósito divino da criação e o fato de que a criação reflete o próprio Ser de Deus, podemos entender mais claramente as razões para as condenações bíblicas da homossexualidade moderna e porque elas são tão rígidas.

O que 2 Pedro 2.1-10 e Judas ensinam a respeito do estilo de vida homossexual?

Essas passagens estão repletas de referências ao homossexualismo e, implicitamente, também ao movimento homossexual cristão. As passagens paralelas ao trecho de Romanos são dignas de nota. Em 2 Pedro 2, observe que o contexto envolve "falsos mestres entre vós" (i.e. dentro da igreja) que ardilosamente introduzem "heresias destrutivas" até mesmo negando o Mestre (Jesus) que os comprou. Note, além disso, que muitos seguirão sua "sensualidade" (v. 2) ou "caminhos vergonhosos", e por causa de tais mestres o caminho da verdade será "difamado" ou distorcido.
Tais pessoas são consideradas como repletas de ganância e descritas como sendo aquelas que exploram os cristãos com "palavras falsas" ( v. 3) ou "fábulas".

Até aqui, a passagem é aplicável tanto a homossexuais quanto a "homossexuais cristãos" que promovem os tipos de argumentos que temos considerado no livro Os Fatos Sobre a Homossexualidade. Note também que nessa passagem é a homossexualidade que é diretamente citada como ilustração de todos acima. Sodoma e Gomorra são mencionadas especificamente por terem sido destruídas como "um exemplo para aqueles que viessem a viver vidas impiedosas depois disso."

O livro de Judas continua a rejeitar a homossexualidade:
"Como Sodoma e Gomorra e as cidades circunvizinhas que, havendo-se entregue à prostituição como aqueles seguindo após outra carne, são postas para exemplo do fogo eterno, sofrendo punição... Ora estes da mesma sorte, quais sonhadores alucinados, não só contaminam a carne, como rejeitam governo e difamam autoridades superiores... Estes, porém, quanto a tudo que não entendem, difamam... Estas são as coisas que os destroem... São estes os que promovem divisões, sensuais, que não têm o Espírito" (Judas 7-19).

Essas palavras dispensam qualquer explicação e requerem pouco comentário.
Examinamos os principais e mais explícitos versículos das Escrituras relacionados ao homossexualismo. Aquele que afirma que a questão bíblica contra a homossexualidade é baseada em alguns textos "isolados" e "obscuros", simplesmente não entende o peso desses trechos das Escrituras. Além dos versículos acima, há um grande número de versículos adicionais que são aplicáveis às práticas homossexuais apesar do termo em si não ser usado (por exemplo, Romanos 6.11-21; Romanos 12.1-2; 1 Coríntios 6.19-20: Filipenses 1.20; Colossenses 3.5-8, Apocalipse 21.8).
Como se pode deixar o estilo de vida homossexual?

Deixar o estilo de vida homossexual pode ser relativamente fácil ou difícil, dependendo de diversos fatores. O passo mais importante é este – aceitar que o estilo de vida homossexual é moralmente errado e resolver mudar. Como comentamos no livro "Os Fatos Sobre a Homossexualidade", a mudança é claramente possível para homossexuais que queiram mudar, e Deus concederá graça e poder àqueles que se voltarem para Ele com fé, desejosos de agradá-lO com seu comportamento sexual. Nesse caso, a chave é uma oração de arrependimento diante de Deus, resolvendo deixar o estilo de vida homossexual, o incentivo e o aconselhamento daqueles que já fizeram isso.

O MOSES - Movimento Pela Sexualidade Sadia é uma importante organização dedicada a ajudar homens e mulheres homossexuais durante a transição para um estilo de vida celibatário e a transição para a heterossexualidade.
Para aqueles que verdadeiramente desejam deixar o estilo de vida homossexual, nós recomendamos a seguinte oração:

Querido Deus:
Eu agora reconheço que a minha homossexualidade tem Te desagradado. Confesso meu pecado diante de Ti e peço o Teu poder e Tua graça para deixar o meu estilo de vida anterior, de forma final e completa. Entendo que o Senhor é Santo e que meu pecado me separou de Ti. Portanto, agora recebo a Cristo como meu Senhor e Salvador pessoal, crendo que Ele morreu na cruz por todos os meus pecados e que ressuscitou dentre os mortos ao terceiro dia. Agradeço-Te que, pela fé no Teu Filho, posso agora saber que todos os meus pecados foram perdoados, – passados, presentes e futuros. Não preciso mais temer o Teu julgamento por causa do que Cristo consumou na cruz. Com a Tua ajuda, eu agora resolvo buscar qualquer ajuda e aconselhamento necessários para obedecer à Tua vontade para a minha vida. Em nome de Jesus, amém.

Aqueles que fizeram essa oração devem entender que a entrega a Cristo é um assunto sério e envolve fazer dEle o Senhor de cada área de sua vida. Vocês devem saber também que inclinações para o mesmo sexo podem, mas provavelmente não vão, cessar automaticamente. O pecado da homossexualidade é igual a qualquer outro pecado sexual e requer tempo e paciência para ser vencido. Outro passo importante é um rompimento explícito e permanente de todos os laços com a comunidade homossexual, incluíndo, se necessário, todas as amizades anteriores. Nenhuma brecha de tentação deve ser permitida. Toda rejeição ao pecado equivale à auto-negação e, é claro, é algo doloroso, mas o simples fato da dificuldade não nos isenta da responsabilidade diante de Deus de amá-lO como Ele nos amou. Milhares de homens e mulheres gays testemunharam que existe vitória – vitória completa – e aqueles que acabaram de começar seu novo estilo de vida devem ser encorajados por esse fato.
(John Ankerberg e John Weldon - http://www.chamada.com.br)

Notas
1. John Stott, “Homosexual Partnerships”, Involvement, vol. 2, p. 226.
2. Veja John Ankerberg e John Weldon, Os Fatos Sobre Criação e Evolução (Obra Missionária Chamada da Meia-Noite, 1995).
3. John F. Harvey, The Homosexual Person (San Francisco: Ignatius, 1987), p. 95-97.

Extraído do livro Os Fatos Sobre a Homossexualidade.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Baixe agora a Bíblia Hábil totalmete grátis

Bíblia Hábil GRATUITA - software de controle de devocionais e estudos, lista de orações, pesquisa por palavras, agenda de compromissos, planejamento pessoal, base de conhecimento, plano de leitura e muito mais... Inteiramente gratis!

Para download: Clique aqui


terça-feira, 11 de maio de 2010

Frase de C. H. Spurgeon

"Muitos livros em minha biblioteca estão agora desatualizados. Foram bons enquanto eram novos, à semelhança das roupas que usei quando tinha dez anos de idade; mas eu cresci e as deixei para trás. Ninguém jamais deixa para trás as Escrituras por ter crescido; esse livro se amplia e é mais conhecido à medida que passam nossos anos".
Spurgeon

Fonte: Monergismo

domingo, 9 de maio de 2010

Igreja e Estado

Neste vídeo o conferencista Arno Froese fala da separação que deve haver entre Igreja e Estado.


Confira o DVD »

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Jesus está sempre conosco

Confira a Pregação "Jesus está sempre conosco" com um dos coferencista do Congresso profético, realizado no ano passado.


Confira o DVD »

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Conheça Jesus - Único, Incomparável, Maravilhoso

O site Chamada da Meia Noite está disponibilizando gratuitamente em seu site, para download, o e-livro:
Conheça Jesus - Único, Incomparável, Maravilhoso do Autor Norbert Liehth.

E-livro GRÁTIS com 71 páginas, ilustrado.
 

Escolha logo abaixo o formato da versão que você quer baixar:

PDF - Livro eletrônico em formato PDF requer o programa gratuito Adobe Reader.
HTML - Leia os capítulos individuais em seu navegador e recomende-os através da função Envie Esta Página.
LIT - Livro no formato lit, que requer o programa MS-Reader.
EXE - Arquivo executável para Windows. Este formato não precisa de nenhum programa adicional.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

RETIRO ESPIRITUAL DA MOCIDADE BATISTA REGULAR DO CONJ. SANTA CATARINA - NATAL/RN

Retiro Espiritual MOBARESC - Edição 2010
Tema: Plantando e colhendo bençãos: o ceifeiro recebe desde já a recompensa e entesoura o seu fruto para a vida eterna. (João 4:36)
Local: praia de Zumbi - RN
Data: 30/04 à 02/05
Contato: Bruno; Betinho

domingo, 18 de abril de 2010

Excelente grupo de Louvor e Adoração

Nos dias de hoje é comum, muito comum, encontrar vários grupos ou "bandas" de Louvor. Mas quando avaliamos às suas músicas, nos quesitos Doutrina e letra, notamos que as mesmas estão fora dos padrões de adoração, em relação como a palavra de Deus ensina (a Bíblia).
Entretanto, no momento ainda encontra-se disponíveis alguns grupos que cantam músicas de louvor e adoração a Deus em excelente qualidade.
Dentre desses grupos gostaria de repassar aos amados irmãos o Grupo Logos que cantam boas músicas, com belíssimas letras e com Sã Doutrina.


Site oficial do grupo Logos: http://www.logos.com.br/v2/

quinta-feira, 25 de março de 2010

Livro de Obadias

INTRODUÇÃO

Um pequeno texto que mostra a mensagem de Deus para com os Judeus, onde serão livrados de seus inimigos, na ocasião mencionada no escrito os Edomitas. Que foi um povo cruel que invadiram a cidade após a conquista da cidade de Jerusalém por outro povo.

O TÍTULO

Os nomes de pessoas costumam ter na maioria das vezes ter significado. No Velho Testamento sempre se ver essa prática constantemente. Os nomes atribuem um significado. O título do livro é o próprio nome do profeta.
No caso do nome de “Obadias” segundo (O NOVO DICIONÁRIO DA BÍBLIA, p. 1132) significa “‘servo de Yahweh’ ou ‘adorador de Yahweh’.

O PROFETA E O AUDIENTE

Quando estuda-se algum texto, sempre se busca conhecer quem é autor e qual o seu audiente.
De acordo com (ELLISEN, p. 293) quando fala a respeito de quem é o autor descreve “nada se sabe do profeta Obadias, exceto que estava em Jerusalém na ocasião dos violentos ataques de Edom à cidade [...]”.
O audiente sem sombra de dúvidas é os Judeus que tem uma profecia que relata que os Edomitas serão destruídos por ter ido contra o povo de Deus.

ORIGEM DOS EDOMITAS

Antes de iniciarmos a história adentro do livro de Obadias, é importante compreender o contexto de como começou a origem dos Edomitas, para assim, entender melhor a respeito dos escritos de Obadias. Então se faz necessário abranger a origem do povo Edomita.
Cronologicamente na história Bíblica o nome Edom aparece no livro de (Gênesis cap.25:19-34) o qual foi com o Esaú.
De acordo com os acontecimentos bíblicos, Isaque tomou a Rebeca por Esposa e ela era estéril. Então, Isaque orou ao Senhor, para que ela concebesse e desse nascimento de algum filho. Deus escuta a oração e concede a gravidez de Rebeca. Mas de acordo com o texto não haveria apenas uma criança, e sim duas. Havia dois filhos no ventre de Rebeca. Contudo, essas duas crianças lutavam entre si, ainda no próprio ventre da mãe. Por esse motivo rebeca consultou ao Senhor. Ele respondeu e disse que duas nações iriam surgir do ventre d’ela, e esses dois povos se dividiriam e que um povo deveria ser mais forte que o outro, e o mais velho serviria ao mais moço, e foi assim o que sucedeu.
Em Gênesis (25:24-26) relata:
Chegou o tempo de Rebeca dar à luz, e ela teve dois meninos. O que nasceu primeiro era vermelho e peludo como um casaco de pele; por isso lhe deram o nome de Esaú. O segundo nasceu agarrando o calcanhar de Esaú com uma das mãos, e por isso lhe deram o nome de Jacó. Isaque tinha sessenta anos quando Rebeca teve os gêmeos.
É notado no texto acima que Esaú recebeu esse nome, por causa de sua aparência física, por ser ruivo e cabeludo. E a Jacó o deram esse nome porque tentou sair igual de acordo com o seu irmão Esaú, quando agarrou no calcanhar de seu irmão.
Segundo (RYRIE, p. 41) em seu comentário “Jacó significa ‘agarrador de calcanhar’, ‘trapaceiro’, ou ‘suplantador’.
E o nome Esaú significa vermelho, que iria preceder o mesmo nome que é Edom (RYRIE, p.41).
Crescido os dois irmãos, Esaú era caçador, homem do campo e Jacó homem que habitava em tendas.
Em Gênesis (25:29-30) comenta Tinha Jacó feito um cozinhado, quando, esmorecido, veio do campo Esaú, e lhe disse: Peço que me deixes comer um pouco desse cozinhado vermelho, pois estou esmorecido. Daí chamar-se Edom.
Então, desse momento começa claramente entender a origem desse povo.
Compreendendo a origem dos Edomitas que foi com Edom ou Esaú, a partir de uma promessa de Deus, percebe que esses dois povos apesar de serem irmãos (parentes), viviam em desunião desde o dia do nascimento de seus genitores.

LOCALIZAÇÃO DO TERRITÓRIO DOS EDOMITAS

O nome Edom significa vermelho, coincidentemente com a região ao qual estava situada. E de acordo com (ELLISEN, p. 294):
Edom ficava na cadeia de montanhas e nos planaltos do monte Seir, a sudeste de Judá, além do mar Morto. Seu território estendia-se desde Moabe, no rio Arnom, até o golfo de Acaba, distante cerca de 160 Km, com Sela (Petra) no meio [...].

                                                              Montanhas de Edom
                                                                Fonte: Ilumina Bíblia.

                                                     Como era a morada dos Edomitas
                                                                 Fonte: Ilumina Bíblia.

                                                   Localização da Região dos Edomitas
                                                                 Fonte: Ilumina Bíblia

A DATA EM QUE A PROFECIA DE OBADIAS PROVAVELMETE FOI ESCRITA

O texto de Obadias é de grande dificuldade para saber com precisão a data em que foi escrito. Isso por causa de acontecimentos que ocorreu em Jerusalém.
Conforme alguns autores eles se dividem quanto à datação do texto por causa se ocorreu antes ou depois da calamidade em Jerusalém como é citado no livro, dos versos de Obadias (11-14).
Por causa da violência feita a teu irmão Jacó, cobrir-te-á a vergonha, e serás exterminado para sempre. No dia em que, estando tu presente, estranhos lhe levaram os bens, e estrangeiros lhe entraram pelas portas e deitaram sortes sobre Jerusalém, tu mesmo eras um deles. Mas tu não devias ter olhado com prazer para o dia de teu irmão, o dia da sua calamidade; nem ter-te alegrado sobre os filhos de Judá, no dia da sua ruína; nem ter falado de boca cheia, no dia da angústia; não devias ter entrado pela porta do meu povo, no dia da sua calamidade; tu não devias ter olhado com prazer para o seu mal, no dia da sua calamidade; nem ter lançado mão nos seus bens, no dia da sua calamidade; não devias ter parado nas encruzilhadas, para exterminares os que escapassem; nem ter entregado os que lhe restassem, no dia da angústia. [grifo nosso]
Segundo (ELLISEN, p. 293), a cidade de Jerusalém foi guerreada em cinco ocasiões que foram:

926
– Pelo Egito, quando Roboão governava Judá (1 Reis 14: 25-26);
845 – Pelos Filisteus e Árabes (depois da volta de Edom) (2 Crônicas 21);
790 – Por Israel, quando Joás governava Judá (2Crônicas 24:23-24);
597 – Por Nabucodonosor, quando Joaquim foi exilado Joaquim foi exilado (2 Reis 24:10-19);
586 – Por Nabucodonosor, quando a cidade e o templo foram destruídos (2 Reis 25).[grifo nosso]


Mas ainda segundo o próprio autor (ELLISEN), a melhor data para situar o escrito é no ano de 845 a.C pelas principais Razões:
a. O livro foi colocado na primeira parte do cânon pelos Hebreus;
b. O desastre referido por Obadias não alcançou necessariamente a dimensão de uma destruição completa e exílio. Foi simplesmente uma pilhagem;
c. Obadias é citado em Jeremias 49:7-22, quase integralmente, crca de 240 anos mais tarde. O inverso dificilmente será verdade pois: 1) um profeta não citaria outro anterior quase integralmente nomeando-o, caso esse profeta não tivesse existido. 2) Jeremias fez muitas citações de Obadias no capítulo 49 ao resumir o julgamento das nações pelo Senhor. 3) A profecia de Obadias foi uma ‘visão’ do Senhor (1:1), não uma reafirmação de uma profecia antiga.
Sendo assim, o livro de Obadias sendo escrito após a segunda invasão Jerusalém, os escritos se tornam a profecia mais antiga escrita no Antigo Testamento.

CONCLUSÃO

O livro traz a mensagem de Deus, através de uma revelação que teve Obadias a respeito do futuro de Israel e dos Edomitas. Afirmando que o povo de Deus iria para batalha contra os Edomitas e iriam quebrar a soberba do coração d’eles e iria vencê-los.
Mostrando a misericórdia e o amor de Deus para com Israel, vingando o que seus inimigos cometeram a eles.
Conclui-se que qualquer que cometer algum mal contra Israel, Deus irá vingar o sangue dos que tal mal cometeu.

Por: Yuri Pontes Henrique

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

AVATAR E A VINDOURA RELIGIÃO MUNDIAL ÚNICA

Por: Joe Schimmel

O filme Avatar*, de James Cameron, é um fascinante e arrebatador sucesso nos cinemas. Seus efeitos especiais são tão tremendos que transportam a audiência vividamente para um outro mundo, no qual adorar uma árvore e ter comunhão com espíritos não são apenas aceitáveis, mas atraentes. Avataré também marcadamente panteísta e essencialmente o evangelho segundo James Cameron. Esse tema panteísta, que iguala Deus às forças e leis do Universo, é apresentado claramente pelos heróis e heroínas do filme: todos adoram Eywa, a deusa “Mãe de Tudo”, que é descrita como “uma rede de energia” que “flui através de todas as coisas viventes”.

Sobretudo, o filme é repleto de mágica ritualística, comunhão com espíritos, xamanismo, e descarada idolatria, de forma que condiciona os espectadores a acreditarem nessas mentiras do ocultismo pagão. Além disso, a platéia é levada a simpatizar com o Avatar e termina torcendo por ele quando é iniciado nos rituais pagãos. No final, até mesmo a cientista-chefe torna-se pagã, proclamando que está “com Eywa, ela é real” e que ficará com Eywa após sua morte.

Enquanto a representação fictícia de James Cameron a respeito da religião da natureza presta-se muito bem à mentira da Nova Era de que as religiões dos nativos americanos [indígenas] eram favoráveis à vida e inofensivas, a representação dos sacerdotes maias em Apocalypto (de Mel Gibson), devedores de divindades sedentas por sangue, que exigiam o sangue de suas vítimas sacrificiais, estava muito mais perto da verdade. A maneira adocicada e romântica com que James Cameron mostra os selvagens e os antigos cultos à natureza em Avatar é oposta aos fatos encontrados em antigos códices e achados arqueológicos: estes revelam que os astecas, os maias e os incas estavam todos envolvidos em sacrifícios humanos em massa, inclusive tomando a vida de criancinhas inocentes para apaziguar seus deuses demoníacos.

O tema panteísta, que iguala Deus às forças e leis do Universo, é apresentado claramente pelos heróis e heroínas De Avatar: todos adoram Eywa, a deusa “Mãe de Tudo”, que é descrita como “uma rede de energia” que “flui através de Todas as coisas viventes”.

Conhecendo o histórico das obras de James Cameron em atacar o cristianismo, e especialmente a ressurreição de Cristo no documentário absolutamente desacreditadoThe Lost Tomb of Jesus[exibido no Brasil como “O Sepulcro Esquecido de Jesus” e lançado em DVD como “O Sepulcro Secreto de Jesus”], não deveria nos surpreender que ele escrevesse e dirigisse uma propaganda de 300 milhões de dólares para promover o culto à natureza e aos espíritos.

Claramente, Hollywood tem tido uma influência persistente em arrancar os EUA [e o Ocidente] de suas raízes cristãs conservadoras e levá-los a crenças e práticas do ocultismo da Nova Era. O panteísmo atrai a turma de Hollywood porque ensina que todos somos Deus e que não precisamos nos preocupar em sermos obedientes ou em prestarmos conta diante de um Deus pessoal que criou o Universo. Entretanto, não são apenas os diretores [de cinema] que rejeitam a Cristo que estão buscando fazer com que o mundo abrace a adoração à Terra sob a máscara de sua imaginária Deusa-Mãe Terra; é também o próprio líder do movimento do aquecimento global, Al Gore.

Em seu livro Earth in the Balance, Gore sugere que voltemos à adoração da natureza e eleva várias seitas de adoradores da natureza e religiões dos nativos americanos ao status de modelo para nós:

Essa perspectiva religiosa pan** poderá mostrar-se especialmente importante no que se refere à nossa responsabilidade pela terra como civilização global. (...) As religiões dos nativos americanos, por exemplo, oferecem um rico conjunto de idéias sobre nosso relacionamento com a terra. (...) Todas as coisas estão interligadas como o sangue que nos une a todos.[1]

Buscando uma síntese da Nova Era que combine várias tradições do ocultismo, Gore cita e favorece o ensinamento hinduísta, dizendo: “A Terra é nossa mãe, e nós todos somos seus filhos”.[2] Incrivelmente, mais adiante Gore afirma que deveríamos buscar novas revelações a partir dessa adoração da deusa do passado e culpa o cristianismo pela quase total eliminação da mesma:

O sentido espiritual de nosso lugar na natureza... pode ser traçado de volta às origens da civilização humana. Um crescente número de antropólogos e de arqueomitólogos... argumenta que a ideologia da crença prevalecente na Europa pré-histórica e em grande parte do mundo estava baseada na adoração de uma única deusa da terra, que se supunha ser a fonte de toda a vida e irradiadora de harmonia em meio a todas as coisas viventes. (...) O último vestígio de culto organizado à deusa foi eliminado pelo cristianismo. (...) Parece óbvio que um melhor entendimento de uma herança religiosa que precede a nossa própria por tantos milhares de anos poderia nos oferecer novas revelações.[3]

Não são apenas os diretores [de cinema] que rejeitam a cristo que estão buscando fazer com que o mundo abrace a adoração à terra sob a máscara de sua imaginária deusa-mãe terra; É também o próprio líder do movimento do aquecimento global, Al Gore [ex-vice-presidente dos EUA].

Gore prossegue declarando que precisamos encontrar uma nova religião baseada na natureza e cita Teilhard de Chardin, o teólogo da Nova Era, em apoio à “nova fé” do futuro:

Esse ponto foi sustentado pelo teólogo católico Teilhard de Chardin, quando ele disse: “O destino da humanidade, assim como o da religião, depende do surgimento de uma nova fé no futuro”. Munidos de tal fé, poderemos achar possível ressantificar a terra.[4]

Com os diretores de vanguarda de Hollywood e as figuras políticas de Washington na liderança, os EUA [e o Ocidente] estão rapidamente voltando ao paganismo que envolveu o mundo em trevas espirituais durante milênios. Que Deus nos ajude a prestar mais atenção à admoestação do apóstolo Paulo, encontrada nas Sagradas Escrituras. Ele nos ensinou que a adoração à natureza nos tempos da Antigüidade era resultado do afastamento da adoração ao único e verdadeiro Deus que, para começar, foi quem criou a natureza:

“Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos. E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis. Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si; pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém” (Rm 1.21-25). (Joe Schimmel –www.goodfight.org - http://www.chamada.com.br)

* Segundo o hinduísmo, avatar é uma manifestação corporal de um ser imortal. Deriva do sânscrito Avatara, que significa “descida”, normalmente denotando uma encarnação de Vishnu (tais como Krishna), que muitos hinduístas reverenciam como divindade. Por extensão, muitos não-hindus usam o termo para denotar as encarnações de divindades em outras religiões.

** Pan: palavra de origem grega que significa “tudo, todas as coisas”.

Notas:

  1. Al Gore, Earth in the Balance – Ecology and the Human Spirit [A Terra em Equilíbrio – A Ecologia e o Espírito Humano], 1992, p. 258-259).
  2. Ibid. p. 161.
  3. Ibid. p. 260.
  4. Ibid. p. 263.

RETIRADO DO SITE DA CHAMADA DA MEIA NOITE EM 16/02/10: http://www.chamada.com.br/mensagens/avatar_religiao.html